Categorias
Geral

Homenagem às pessoas mortas por COVID-19

As pessoas não morrem, ficam encantadas…

Guimarães Rosa

De acordo com os dados oficiais, até o momento, já são mais de 5.000 pessoas mortas em decorrência da Covid-19, infectadas pelo coronavírus no Brasil, além de outras milhares não confirmadas e/ou que nunca serão contabilizadas. Enquanto isso, diante da crise econômica que assola o mundo e da crise política que abala o Brasil, alguns tentam reduzir a importância dessas vidas que se perdem a meros números, a estatísticas que podem ser descartadas em nome de qualquer outro intere$$e. Outros ainda tentam ocultá-las, ridicularizá-las e até mesmo zombá-las em nome de cálculos políticos torpes.

Porém, nós da Rede de Apoio às Famílias – Memorial das Vítimas do Covid-19 no Brasil junto ao Segura a Onda acreditamos que toda vida importa e deve ser reverenciada, mesmo após encerrada, e nos solidarizamos com os familiares, amigos, colegas de trabalho, vizinhos e demais entes queridos em luto.

Guimarães Rosa disse certa vez que “as pessoas não morrem, ficam encantadas”. Inspirados nessa frase, convidamos a todos vocês, nossos concidadãos e concidadãs, a realizar uma homenagem coletiva neste Domingo, 3 de maio, acendendo uma vela (ou as lanternas dos celulares) nas sua janelas ou varandas, às 20hs, em memória de todas as pessoas que já faleceram pela pandemia de Covid-19 aqui no Brasil, contabilizadas oficialmente ou não.

Além do gesto proposto, nós também projetaremos imagens das vítimas nas paredes dos prédios e disponibilizaremos os arquivos das projeções em nossos canais para quem quiser também reproduzi-las em suas localidades, assim o façam, multiplicando as homenagens. 

Ninguém será jamais esquecido, afinal #TodaVidaImporta!

Por Malu Oliveira

Investigadora de comuns urbanos, integrante dos coletivos Esta Es Una Plaza, Espacio Vecinal Arganzuela (EVA) e Asamblea Feminista Arganzuela, de Madrid. Jornalista especializada em comunicação pública,